Bioconstruindo na maior favela da América Latina

O sol nasce todos os dias em uma região que não conta com sistema de saneamento básico e convive com lixo espalhado a céu aberto. Pessoas, cavalos, vacas, carros e motos dividem um mesmo espaço em ruas esburacadas e extremamente alagadiças nesta época do ano.

by Henny Freitas

Estima-se que há, pelo menos, 120 mil pessoas vivendo nessas condições nas comunidades Pôr do Sol e Sol Nascente, localizadas na Região Administrativa de Ceilândia, no Distrito Federal. São dezenas de pessoas sobrevivendo em lotes minúsculos sem nenhuma infraestrutura desde a década de 90, quando começaram a ser ocupados irregularmente.

Segundo a Companhia de Planejamento do Distrito Federal, “somente 6,1% dos 20.686 domicílios são ligados à rede de esgotos e 54,15% não têm acesso à coleta de lixo”. Área de grilheiros, as ocupações continuam ocorrendo de forma desordenada e a população, concentrada a 35 quilômetros da Praça dos Três Poderes, sofre com os constantes “toques de recolher”.

Mas esses dias estão contados. O sol continua nascendo na região. Dessa vez, com um brilho diferente!

IMG_5539

Foto: Voluntários bioconstruindo no Sol Nascente

Dia 16 de dezembro começou um mutirão para a construção de casas ecológicas para 109 famílias do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). A iniciativa é inédita no Brasil. MTST, UniPermacultura, Fazenda Bella Agroecologia, Setorial EcoSocialista e dezenas de voluntários abrem um precedente-semente para que outras mobilizações como esta ocorram em território nacional.

“Nunca houve no Brasil tantas pessoas mobilizadas para erguer suas próprias moradias”, diz o coordenador do MTST/Brasília, Eduardo Borges.

Cada lote possui 22 metros de comprimento por 6 metros de largura. A compra dos materiais foi feita através de uma “vaquinha virtual” e a ideia é que todas as casas sejam construídas coletivamente. Além da técnica do bambu-a-pique, as casas contarão com fossas ecológicas, captação de água das chuvas e energia solar.

O mutirão na casa da Dona Alzerita vai até o dia 23 de dezembro e para participar é só levar 1kg de alimento não perecível. Saiba como chegar, aqui!

 

Comments

  • alma-mahler

    Admiração total por essa iniciativa sensacional. Que dê muitos frutos!! Voa Henny!! <3

happy wheels