Tudo que Você Compra é Lixo!

Ao questionarem a relação direta entre o consumo e o lixo, estudantes de Design da Universidade de Londres criam sapato feito 100% a partir de plástico coletado de rios do Reino Unido.

by Henny Freitas

EverythingIsRubbish_VIIISapato 100% feito de plástico: do solado aos cadarços. Foto: Divulgação

Considerado o primeiro plástico da história, após vários experimentos de químicos adicionados ao petróleo, em 1909 foi criado o primeiro polímero realmente sintético – útil pela sua dureza, resistência ao calor e à eletricidade. Após a Segunda Guerra Mundial outras variedades do plástico foram designadas e moldadas de tal forma no cotidiano das pessoas a ser quase impossível imaginar o mundo de hoje sem ele.

Mas, e se você descobrisse que tudo o que você compra é ou acaba virando lixo? Isso mudaria a sua forma de consumo? Foi justamente fazendo estas perguntas que três estudantes de Design da Universidade de Londres decidiram dar uma volta para refletir sobre as questões. Sabe o que eles encontraram, ao observar a EverythingIsRubbish_Ipaisagem de alguns dos principais rios do Reino Unido? Acertou quem respondeu: plástico!

Com a esperança de impulsionar a demanda por bens materiais mais éticos e produzidos de forma mais sustentável e tomando em conta o acúmulo de plástico nos rios e oceanos e quanto deste material poderia ser reutilizado Billy, William e Charles adotaram uma atitude sustentável. Eles criaram o projeto Everything You Buy is Rubbish, ou ‘Tudo que você compra é lixo’, em tradução livre.

“Não se trata de dizer às pessoas o que fazer. Queremos levá-las a repensar seu próprio comportamento como consumidor e sobre o impacto que têm no mundo. Ao fazer com que as pessoas cheguem às suas próprias conclusões esperamos que seus pensamentos permaneçam por mais tempo em suas mentes a tal ponto de afetar diretamente seu comportamento sem que isso precise ser um sermão cansativo em seus ouvidos”, comentou Charles Duffy.

Depois de coletarem o material das margens dos rios, os estudantes reconstituíram o lixo para a fabricação de um produto de consumo a partir do produto do nosso próprio consumo: um sapato 100% feito de material plástico, desde o solado aos cadarços.

 

Vocês saberiam dizer a relação entre quantos quilos de plástico bruto foram coletados e quantos foram necessários para produzir esse par de sapatos?

Charles – Enchemos um carro pequeno com lixo de três locais que visitamos. Eu não saberia dizer o que isso significa em peso, mas nós recolhemos uma boa quantidade a mais do que o necessário para que pudéssemos testar as técnicas de fabricação antes de fazer o sapato propriamente dito. Os sapatos acabados pesam aproximadamente o mesmo que um par equivalente feito de materiais convencionais.

 

Vocês considerariam produzir mais desse tipo ‘ecológico’ de sapatos?

Charles – Acredito que os sapatos ficariam desconfortáveis nos pés, tornando-os impraticáveis para andar. Além do mais, três rapazes em um Nissan Micra provavelmente não seja a maneira mais fácil ou mais eficiente de limpar a costa do Reino Unido. Possivelmente existe espaço para ver o que mais poderíamos fazer com as técnicas que usamos, mas torná-los consumíveis nunca foi a ideia por trás do trabalho.

 

“Não fizemos esse projeto pelo dinheiro e não pretendemos ganhar um único centavo com isso. Desta forma, mantemos a mensagem pura sem sermos contaminados por um incentivo de lucro.”

 

Se pudessem colocar um preço nos sapatos, quanto eles custariam?

Charles – Ao contrário de um monte de gente, não estamos apenas tentando fazer um dinheirinho rápido entrando na onda da ecologia. Não fizemos esse projeto pelo dinheiro e não pretendemos ganhar um único centavo com isso. Desta forma, mantemos a mensagem pura sem sermos contaminados por um incentivo de lucro. A única situação em que acho aceitável vender os sapatos seria para financiar outro projeto onde Billy, William e eu estivéssemos envolvidos e o dinheiro fosse usado explicitamente como artefato para promover uma importância cultural, em vez de produtos de consumo.

 

O que inspira vocês a fazerem parte de uma mudança positiva no planeta?

Charles – A maior fonte de inspiração para este projeto em particular nos chegou através de um livro de Stephen Emmott chamado ‘10 bilhões’, em que são expostas de forma implacável os grandes problemas que nós, como espécie, vamos enfrentar cada vez mais com a população mundial crescendo exponencialmente.

 

Qual é o legado que vocês querem deixar no planeta?

Charles – Um impacto ambiental tão pequeno quanto possível. Infelizmente é muito difícil viver e trabalhar em uma sociedade como a nossa e não consumir produtos com ética questionável, por exemplo, o computador que usamos para escrever esta entrevista e as câmeras que usamos para tirar as fotos e fazer o filme do projeto. As vezes nós apenas temos que tentar fazer a escolha ‘menos pior’. Esperamos que projetos como o ‘Tudo que você compra é lixo’ fará com que consumidores sejam um pouco mais conscientes do seu impacto e esperamos ajudar a impulsionar a demanda por bens mais éticos e produzidos de forma mais sustentável.

 

Everything you Buy is Rubbish http://everythingisrubbish.co.uk/

Fotos: Divulgação

Publicado por Henny Freitas pela primeira vez no jornal EcoNotícias, da ONG Movimento Ecológico em agosto de 2014.

 

Comments

happy wheels