Festival Mbaraeté – Resistência Indígena!

EarthCode Project marca presença na Casa das Caldeiras.  

by Henny Freitasimage

Henny recebendo o carinho de uma garota Guarani MBya. Foto: Didier Laviale

Co-criado de forma colaborativa entre indígenas e juruás (não-indígenas), o Festival Mbaraeté aconteceu na Casa das Caldeiras, antigo complexo industrial hoje tombado como Patrimônio Histórico de São Paulo. A Casa abriu suas portas e contou com a participação de seres conscientes que ofereceram seu trabalho de forma gratuita.

O valor arrecadado com o ingresso e o consumo de comes e bebes foi integralmente doado em apoio à causa Indígena. Parte direcionada às benfeitorias coletivas sociais voltadas aos Guarani Kayowa, do Mato Grosso do Sul. Parte entregue aos Guarani MBya, de São Paulo.

Fui convidada a compor essa gama de gente do bem para fazer uma projeção de fotos recém clicadas durante as manifestações que rolaram nos primeiros Jogos Mundiais dos Povos Indígenas em Palmas, capital do Tocantins!

Além de exibir as fotos, compartilhei uma carta escrita por muitas mãos em repúdio à PEC 215 e 71 que ficou conhecida como CARTA de PALMAS. Também projetei uma mensagem em solidariedade à Mariana – Minas Gerais e convidei geral para defender a última área verde de Cidade Ademar: o Parque dos Búfalos, em São Paulo!

Destaco o trabalho de dois artistas que conheci de perto pela primeira vez: o grafiteiro Crânio, que espalha resistência pela cidade através dos seus índios azuis e expôs um quadro feito especialmente para a ocasião. E o cantor e compositor Criolo, que através das suas letras consegue ajudar a abrir a cachola de muita gente por aí.

Abaixo, um trecho do show do Criolo com as fotos que tirei em Tocantins – uma combinação perfeita, modéstia à parte!

 

 

Comments

happy wheels